A exigência, o exigente e a aprendizagem-2

"Estas não foram as únicas más notícias para a educação madeirense nos últimos dias. Das 15 escolas onde se fizeram exames do secundário, apenas cinco tiveram médias positivas e nenhuma conseguiu figurar no rol das 150 melhores." Fonte: DN-Madeira

 

Ainda está para nascer a ideia de que as capacidades dos jovens sejam as responsáveis por tamanha taxa de insucesso escolar. Em muitos casos, eu acredito que no nível de ensino secundário, a procura daquela imagem de professor exigente, por parte dos próprios, muitas vezes sacrifica os alunos que são vítimas de autênticas "avaliações-armadilha" e que por muitas competências que estes possuam, à partida para os exames, o insucesso está garantido. Como aluno, já senti isso na pele. É pena que nalguns casos esta sonda de maus costumes e abusos resuma-se à desmotivação pelos estudos e ao abandono prematuro escolar...

 

Sugestão: Que tal separar os responsáveis pela avaliação daqueles que leccionam usando o modelo das aulas/exames de código de estrada, onde o docente fica impedido de imputar inclinações?... Irão ver, com certeza, muita coisa mudar...

 

É importante que esta minha crítica não ponha em causa a boa qualidade das grandes instituições e dos grandes profissionais de ensino que temos cá na Madeira!

 

    

 

 

publicado por qvieira às 13:52 | link do post