Alertas vs Pânico

As catástrofes naturais nos últimos tempos têm de facto, e cada vez mais, assolado os habitantes do nosso maravilhoso planeta. Mas, numa perspectiva global, também não nos devemos esquecer que grande parte dessas tragédias resume-se apenas em manifestações naturais, da natureza, no seu próprio “habitat”. Nos casos como o do passado dia 20 de Fevereiro na madeira, o volume de distúrbios, das mortes a lamentar, das cicatrizes dolorosas que ficam cravadas para sempre nas memórias daqueles que viveram de perto o infortúnio provocado pela intempérie, é proporcional aos sucessivos erros humanos que se teimam em cometer e que embravecem a índole devastadora na periferia dos caudais das ribeiras, quando em tempos de elevada precipitação, estas, se manifestam. Estamos cientes disto… Somos todos os culpados!

Os alertas meteorológicos responsáveis pela informação antecedente relativa a agravamentos no estado do tempo, muitas vezes só são verdadeiramente levados a sério no sucessivo ao acontecimento, e geram, por vezes, comportamentos que espelham o produto de mentes, nossas, ingénuas, de portugueses que só se acautelam depois de estar o mal feito. O alerta amarelo de hoje à tarde não foi excepção, o pânico desnecessário causado por este aviso e que se notou no trânsito automóvel, nas zonas circundantes e acessos ao Funchal, só veio aumentar riscos devido ao estado de piso escorregadio, no que toca à forte probabilidade de haver acidentes alheios às precauções a tomar, diligenciadas pelos emissores do alarme. As enxurradas provocadas pelas correntes de água que galgam os seus leitos só voltarão a acontecer se voltarmos a invadir o que por direito à natureza pertence!... Portanto, calma_aí!…Chover no inverno é normal!!
publicado por qvieira às 22:45 | link do post