A imagem que me identifico!

 

 
Rio Tâmega
 
Reflexo
 

Descodifico parte desta imagem (retirada da Internet) e associo à minha pessoa…

 

Não será propriamente à ponte que me identifico, mas sim ao seu reflexo. A imagem que me assemelha será talvez a produzida pelo reflexo da água corrente; a forma de eu ver a mim próprio; a maneira de imaginar a minha figura física e até psicológica ao ponto de vista da comunidade com a qual lido no dia a dia... Por vezes recorro a este reflexo; a este espelho natural, sempre que tenha algum acontecimento importante e que para tal a minha figura; o meu cartão de visita, seja chamado a intervir… Olhando para o reflexo da minha pessoa consigo avaliar o resultado de uma minha prestação, ou até preparar-me para uma qualquer intervenção... posso ter noção; imaginar o ponto de vista das outras pessoas em relação a mim, ou seja, ver-me do lado de lá…

 

Esta ponte diz-me que o reflexo é a alma da sua imagem, pois é o ciclo diário da figura diferente que cada um tem na maneira, por vezes, de ser e de agir, é verdade! A imagem que o reflexo da água produz não é propriamente igual à ponte, olhando para ela, o reflexo é apenas o espelho da sua imagem. Tão igual à figura que por vezes fazemos não é a mesma que realmente somos... infelizmente a vida obriga-nos a usarmos estas diferenças em nós próprios; obriga-nos a usar uma imagem diferente àquela que sentimos quando olhamos para nosso reflexo…

 

Falarmos com Deus é falarmos com nós próprios; fazermos um exame à nossa consciência, é falarmos com o reflexo da nossa imagem…  

 
Quirino Vieira
- Agosto de 2007
sinto-me: A descarregar tudo!
publicado por qvieira às 15:06 | link do post