Domingo, 30.05.10

Ecrã gigante no Lombo do Doutor

Foi recentemente instalado um ecrã gigante, entre o Lombo do Doutor e Atouguia, de modo a que todos os calhetenses possam acompanhar o percurso da nossa selecção no mundial de futebol na África do Sul!

 

publicado por qvieira às 20:46 | link do post | comentar

Exposição: "arte pública-Lonarte" na praia da Calheta

 

 

publicado por qvieira às 15:30 | link do post | comentar
Sexta-feira, 28.05.10

Grande homenagem a Max em Outubro

 

"Maximiano de Sousa, conhecido por todos como Max, receberá no próximo mês de Outubro «a merecida homenagem pública, regional e nacional», por ter sido um dos representantes máximos da canção, do humorismo e do próprio Fado.
As datas do evento “Max-A Grande Homenagem” ainda estão dependentes das entidades nacionais e regionais, mas tudo aponta para a terceira semana do mês de Outubro. Para a realização do programa, foi constituído o Núcleo de Homenagem ao Max que é formado pelos fadistas Carlos Amaral e Manuela Nobre e ainda pelo jurista Rogério Sousa. Este grupo tem como «objectivo o de levar a cabo a grande homenagem à figura de Maximiano de Sousa, o grande Max que, penso eu, como milhares de portugueses, nunca foi homenageado categoricamente e que está esquecido, sendo apenas lembrado com a “Mula da Cooperativa”», lamentou Carlos Amaral.
Para a consagração definitiva da figura de Max, o Núcelo enviou um pedido à Presidência da República para que o artista madeirense seja agraciado, a título póstumo, com uma Ordem Honorífica, «não inferior à que foi entregue à grande diva do fado, Amália Rodrigues». Será ainda solicitado ao representante da República na Madeira, que esta cerimónia de entrega da comenda seja feita no Palácio de São Lourenço.
A colocação de lápides no edifício onde Max nasceu e uma outra onde viveu está no programa de actividades, bem como a deslocalização da estátua do artista situada na Zona Velha da cidade. Carlos Amaral salienta que esta mudança é essencial, porque neste momento não se está a dignificar o artista, «não por culpa do Governo Regional, porque a escultura está esplêndida, mas pela localização, por isso irá ficar à entrada da Zona Velha, junto à muralha, virada para a Rua D. Carlos I». A figura de Max está incontornavelmente ligada àquela zona da cidade, porque foi ali que viveu, trabalhou, começou a vida de artista «e experimentou os primeiros sinais de uma morte desonrosa», pois «o seu povo não o ajudou». Então, acrescentou, «damos uma oportunidade à Região de prestar a mail alta expressão da homenagem», salientou Carlos Amaral.
A iniciativa terá como pontos altos dois espectáculos no Teatro Baltazar Dias com «muitas surpresas», disse Carlos Amaral sem querer adiantar mais. Os eventos serão abertos a convidados e à população em geral, «porque esta homenagem é de todos e para todos e para ele em específico».
Um blog sobre a iniciativa (http://maximianodesousa.wordpress.com) foi ainda criado e foi também solicitado à presidência do Governo Regional um dia de tolerância de ponto ou feriado em honra de Max. Tudo para enaltecer um homem humilde que «pedia licença para cantar e desculpava-se por ter cantado». Assim era Max antes e depois dos seus espectáculos, mas que fez 170 letras sem saber escrever. “Pomba Branca”, como símbolo de liberdade, será o hino deste grande acontecimento."

 

Fonte: Jornal da Madeira

 

 

publicado por qvieira às 13:04 | link do post | comentar
Quinta-feira, 27.05.10

Que medidas adoptar com vista a combater a crise?

 

tags:
publicado por qvieira às 15:45 | link do post | comentar
Quarta-feira, 26.05.10

Blogue-animal de estimação, a testemunha do meu umbigo

Considero o presente blogue o meu animal de estimação preferido, não descurando, claro, o galo novo da vizinha que é o portador herdeiro das maravilhosas sinfonias, deixadas pelo galo velho já falecido, que são uma espécie de despertador sarcástico responsável pelo enceto da minha boa disposição diária. Entre outros, o blogue lá vai comandando o ranking das minhas preferências…

É verdade, denomino-o, o meu diário da Web, por animal de estimação distintivo por várias razões… Primeiro, por ser um companheiro ao nível do meu umbigo, o mais estimado, claro. Segundo, pelas vantagens que acarreta em relação a outros animais, seres vivos, no que toca designadamente à ausência de alguns cuidados a ter como: higiene, alimentação, etc. Se bem que para usufruir do prezado companheirismo de um blogue a tempo inteiro, o custo da factura proporcione a sensação de posse de afanípteros saltadores pelo corpo todo equivalente àqueles que às vezes se instalam no couro dos peludos de quatro patas. Enfim, prós e contras… Terceiro, um blogue é um blogue, é o espelho quotidiano do nosso estado de espírito, é a projecção de ideias, improvisos, críticas, manias, tontices e pouco mais de útil para a sociedade. Essa coisa de, o meu blogue é melhor que o teu, é equivalente à minha pila ser maior do que a tua! O blogue não é o lugar certo para gritar ao mundo que tenho um crânio, pois ele é apenas o meu animal de estimação, a testemunha do meu umbigo. Se postar um artigo, aqui, no meu fiel companheiro, sobre arte ou sobre algo de muito proveitoso em relação à solidariedade de interesses, e, se postar outro sobre os escaldantes mistérios da costela de Adão (mulher), sem nada de artístico, qual destes me proporcionará mais visitas?... Áh! Eu não me preocupo com visitas, o meu blogue não tem como objectivo os visitantes, indignam-me os anónimos, os trolls, os chatos, as alfaces. Então afinal para que serve um blogue? Para limpar o cu?... Os filtros do Google analytics testemunham que as keywords mais usadas pelas buscas provenientes de provedores de serviços relativos a instituições de alto gabarito, por vezes, espelham na realidade o que procura o consumidor da blogosfera… Que mais poderia eu cuscar no animal de estimação da vizinha?...

publicado por qvieira às 02:09 | link do post | comentar
Terça-feira, 25.05.10

Como as coisas vão, é tudo uma questão de tempo...

 

Num país onde a dívida externa é supostamente superior ao valor patrimonial interno e onde o cominar da factura é aplicado às classes por ordem do mais pequeno para o maior, se ainda não chegou à sua vez, para chegar, é tudo uma questão de tempo... Há dúvidas?

 

 

 

publicado por qvieira às 11:41 | link do post | comentar

Os homens da luta: "Fiquem com as calças"

Pois é, muito se fala em economia, em recessão, em combater o défice. E o povo

páh?... Esta manifestação relatada pela sic mostra a vontade, de um ainda pequeno grupo, de chamar à atenção avisando ao nosso (des) governo que este país ainda tem povo!...

 

 

publicado por qvieira às 10:02 | link do post | comentar
Domingo, 23.05.10

Espírito-Santo, Vila da Calheta

 

Hoje, Domingo, dia de benção do Divino Espírito Santo no Porto de Recreio da Vila da Calheta. As saloias, os andores multicolores, a banda de música, em tarde de sol e quando a agitação marítima apresenta-se algo encrespada, prosseguiram-se na respectiva procissão mar adentro... A comparência de público ao local, quer da parte dos curiosos, quer da parte dos proprietários das pequenas embarcações fluviais, numa marina preenchida, ficou-se mais uma vez pela pequena quantidade... Poucos mas bons!

 

 

 

 

 

 

 

publicado por qvieira às 14:28 | link do post | comentar
Quarta-feira, 19.05.10

O Cavalo e o Burro

"Diz um velho ditado que a união faz a força. Estribado nele, diversos outros provérbios sustentam que todos, neste mundo, deveriam se auxiliar mutuamente, pois como ninguém vive sozinho, não há como negar que uma mãozinha aqui, ou outra mãozinha ali, ajudam a superar os entraves e obstáculos com que o dia-a-dia costuma dificultar a caminhada de cada um.

 

Conta uma lenda que certo dia, há muito tempo, um cavalo e um burro acompanhavam seu dono. O primeiro, imponente e orgulhoso de sua aparente linhagem inglesa, carregava nas costas apenas um arreio ricamente trabalhado, enquanto o segundo, coitado, mal e mal podia manter-se na mesma cadenciada sequência de passos do companheiro que seguia a seu lado, vergado ao peso da carga exagerada que haviam colocado sobre si. A certa altura do caminho, o burro, desgastado pelo esforço enorme que fazia, conseguiu reunir forças para pedir ao cavalo, entre arquejos, pausas e suspiros, que este o ajudasse, pois havia chegado ao limite de sua resistência. E dizia com voz que mais parecia um sopro:

 

-Veja que o meu pedido não é sem sentido, porque metade do peso que colocaram sobre meu lombo certamente será para você um fardo muito leve. Além disso, como já não aguento mais tanta canseira, tenho certeza de que se continuarmos assim, logo, logo, eu estarei ao lado dos meus antepassados. Por isso lhe peço: tenha piedade e me livre de morrer de forma tão humilhante.

 

Totalmente indiferente a essa súplica, o corcel seguia adiante sem ao menos um olhar de esguelha ao companheiro às portas da morte, até que, percorridos mais alguns metros do caminho, o burro vergou as patas dianteiras, bambeou o corpo durante alguns segundos, e finalmente tombou de lado, não mais se mexendo.

 

Complementando a história, resta dizer que horas depois o viajante deu prosseguimento à viagem, não sem antes colocar sobre o cavalo soberbo toda a carga que o animal morto levava, mais a pele do pobre-coitado.

 

Moral da história: Cedo ou tarde os arrogantes e pretensiosos também encontram a sua hora, descobrindo, então, que nada os diferencia dos seus semelhantes.

 

Baseado numa fábula de La Fontaine."

 

Texto: daqui.

tags:
publicado por qvieira às 00:19 | link do post | comentar
Domingo, 09.05.10

'Rapaziada oiçam bem o que eu lhes digo, cantem todos comigo':

publicado por qvieira às 21:07 | link do post | comentar
Related Posts with Thumbnails
Related Posts with Thumbnails

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

Maio 2010

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
24
29
31

posts recentes

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

arquivos

tags

participar

twitter icons

subscrever feeds

blogs SAPO